• A Marca do editor

    ROBERTO CALASSO

    Editora Âyiné

    Em uma época de nivelamento das categorias, de fácil acesso a uma suposta biblioteca universal digitalizada (de fato, fragmentária e caótica), o editor tende a ser visto como um intermediário desnecessário entre o escritor e o leitor.Em A marca do editor Roberto Calasso rebate ponto a ponto esse e outros graves erros dos paladinos do imediatismo, da velocidade e do desempenho financeiro como categorias absolutas. Escorado em sua posição excepcional, na intersecção entre o grande editor - está à frente há muitos anos da mais prestigiosa casa editorial europeia, a Adelphi, uma referência internacional - e o escritor de enorme cultura e perspicácia crítica - escreveu livros já clássicos sobre Kafka, Baudelaire, Tiepolo e sobre a mitologia hindu - Calasso adota uma posição dura, comprometida e fundamentada por sua própria trajetória. Ao iluminar a figura dos grandes editores europeus e americanos do século XX, Calasso mostra a importância decisiva que editoras como Gallimard, Einaudi, Suhrkamp ou Farrar, Straus & Giroux tiveram na formação de um critério e de um público leitor, no ordenamento e na separação do essencial do supérfluo no que diz respeito à literatura. Calasso discorre sobre sua ideia da "edição como gênero literário": um editor da estirpe à qual ele pertence é um caçador de "livros únicos", é alguém que escreve, com os livros que publica, o melhor livro de todos: seu catálogo, que é ao mesmo tempo sua autobiografia. Contra a ideia daqueles que querem encarar a edição como uma indústria qualquer, este livro mostra, tanto com fineza quanto com contundência, a importância do editor que defende e cultiva sua marca. Sem a qual tudo se resume a uma única categoria: a do entretenimento fácil e o rápido esquecimento. É significativo o caminho que Calasso faz por sua própria memória, pelas grandes personalidades com as quais lidou, não somente do âmbito editorial, como também, claro, do literário; nesse aspecto, é insuperável o retrato traçado aqui, por exemplo, de Thomas Bernhard. A marca do editor é o relato de uma trajetória excepcional, de uma estirpe que formou nossa sensibilidade e nossa cultura, e que agora mais que nunca precisa de nosso reconhecimento. "A verdadeira história da edição é em larga medida oral - e assim parece destinada a permanecer. Uma teoria da arte editorial nunca se desenvolveu - e talvez seja tarde demais para que possa se desenvolver agora. Contrariando esses fatos, tentei reunir dois elementos: alguns eventos da história da Adelphi, que vivi por cinquenta anos, e um perfil não da teoria da edição, mas daquilo que um determinado tipo de edição também poderia ser: uma forma, a ser estudada e julgada como se faz com um livro. Que, no caso da Adelphi, teria mais de dois mil capítulos." Roberto Calasso
    Ler mais Ler menos
    Oba, você já comprou esse livro! Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Você já possui este livro através da parceria Skeelo + {partner} Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Páginas 170
    Peso do arquivo 4.72MB
    Ano da publicação 2020
    Tradutor(a) PEDRO FONSECA

    Sinopse

    Em uma época de nivelamento das categorias, de fácil acesso a uma suposta biblioteca universal digitalizada (de fato, fragmentária e caótica), o editor tende a ser visto como um intermediário desnecessário entre o escritor e o leitor.Em A marca do editor Roberto Calasso rebate ponto a ponto esse e outros graves erros dos paladinos do imediatismo, da velocidade e do desempenho financeiro como categorias absolutas. Escorado em sua posição excepcional, na intersecção entre o grande editor - está à frente há muitos anos da mais prestigiosa casa editorial europeia, a Adelphi, uma referência internacional - e o escritor de enorme cultura e perspicácia crítica - escreveu livros já clássicos sobre Kafka, Baudelaire, Tiepolo e sobre a mitologia hindu - Calasso adota uma posição dura, comprometida e fundamentada por sua própria trajetória. Ao iluminar a figura dos grandes editores europeus e americanos do século XX, Calasso mostra a importância decisiva que editoras como Gallimard, Einaudi, Suhrkamp ou Farrar, Straus & Giroux tiveram na formação de um critério e de um público leitor, no ordenamento e na separação do essencial do supérfluo no que diz respeito à literatura. Calasso discorre sobre sua ideia da "edição como gênero literário": um editor da estirpe à qual ele pertence é um caçador de "livros únicos", é alguém que escreve, com os livros que publica, o melhor livro de todos: seu catálogo, que é ao mesmo tempo sua autobiografia. Contra a ideia daqueles que querem encarar a edição como uma indústria qualquer, este livro mostra, tanto com fineza quanto com contundência, a importância do editor que defende e cultiva sua marca. Sem a qual tudo se resume a uma única categoria: a do entretenimento fácil e o rápido esquecimento. É significativo o caminho que Calasso faz por sua própria memória, pelas grandes personalidades com as quais lidou, não somente do âmbito editorial, como também, claro, do literário; nesse aspecto, é insuperável o retrato traçado aqui, por exemplo, de Thomas Bernhard. A marca do editor é o relato de uma trajetória excepcional, de uma estirpe que formou nossa sensibilidade e nossa cultura, e que agora mais que nunca precisa de nosso reconhecimento. "A verdadeira história da edição é em larga medida oral - e assim parece destinada a permanecer. Uma teoria da arte editorial nunca se desenvolveu - e talvez seja tarde demais para que possa se desenvolver agora. Contrariando esses fatos, tentei reunir dois elementos: alguns eventos da história da Adelphi, que vivi por cinquenta anos, e um perfil não da teoria da edição, mas daquilo que um determinado tipo de edição também poderia ser: uma forma, a ser estudada e julgada como se faz com um livro. Que, no caso da Adelphi, teria mais de dois mil capítulos." Roberto Calasso
    Ler mais Ler menos

    Ficha técnica

    • Autor(a) ROBERTO CALASSO
    • Tradutor(a) PEDRO FONSECA
    • Gênero Teoria e Crítica Literária
    • Editora Editora Âyiné
    • Páginas 170
    • Ano 2020
    • Edição
    • Idioma Português
    • ISBN 9786586683240
    • Peso do arquivo 4.72MB