• A unidade do corpo e da mente: Afetos, ações e paixões em Espinosa

    Chantal Jaquet

    Autêntica Editora

    Espinosa tinha razão, eis o título da tradução francesa de uma das últimas obras do célebre neurologista António R. Damásio consagradas à elucidação da natureza dos sentimentos. Igualmente, Jean-Pierre Changeux, professor do Collège de France e autor de O homem neuronal, reivindica também uma filiação a Espinosa no correr de um diálogo com Paul Ricouer: O que nos faz pensar? A natureza e a regra. Por que, da parte desses modernos pesquisadores, neurobiologistas e psicomotricistas, o entusiasmo pela concepção espinosana da união do corpo e da mente? Em que Espinosa tinha razão contra Descartes? Tal atualidade do modelo espinosano convida à reflexão sobre o alcance e o valor dessas referências, sempre sujeitas à precaução aos olhos do historiador da filosofia, já que repousam muito frequentemente sobre conhecimentos de segunda mão e que desnaturam o pensamento de um autor. É por esse motivo que cumpre retomar a questão das relações entre mente e corpo e suas modalidades afetivas em Espinosa em toda sua complexidade. A partir das interrogações atuais da neurobiologia e das ciências sociais, a filósofa Chantal Jaquet analisa os textos de Espinosa para deles extrair um modelo de interpretação das relações entre mente e corpo que pode enriquecer os debates contemporâneos nas mais diversas áreas e práticas.
    Ler mais Ler menos
    Oba, você já comprou esse livro! Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Você já possui este livro através da parceria Skeelo + {partner} Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Páginas 208
    Peso do arquivo 0.39MB
    Ano da publicação 2013
    Tradutores(as) Luis César Guimarães Oliva, Marcus Ferreira de Paula

    Sinopse

    Espinosa tinha razão, eis o título da tradução francesa de uma das últimas obras do célebre neurologista António R. Damásio consagradas à elucidação da natureza dos sentimentos. Igualmente, Jean-Pierre Changeux, professor do Collège de France e autor de O homem neuronal, reivindica também uma filiação a Espinosa no correr de um diálogo com Paul Ricouer: O que nos faz pensar? A natureza e a regra. Por que, da parte desses modernos pesquisadores, neurobiologistas e psicomotricistas, o entusiasmo pela concepção espinosana da união do corpo e da mente? Em que Espinosa tinha razão contra Descartes? Tal atualidade do modelo espinosano convida à reflexão sobre o alcance e o valor dessas referências, sempre sujeitas à precaução aos olhos do historiador da filosofia, já que repousam muito frequentemente sobre conhecimentos de segunda mão e que desnaturam o pensamento de um autor. É por esse motivo que cumpre retomar a questão das relações entre mente e corpo e suas modalidades afetivas em Espinosa em toda sua complexidade. A partir das interrogações atuais da neurobiologia e das ciências sociais, a filósofa Chantal Jaquet analisa os textos de Espinosa para deles extrair um modelo de interpretação das relações entre mente e corpo que pode enriquecer os debates contemporâneos nas mais diversas áreas e práticas.

    Ficha técnica

    • Autor(a) Chantal Jaquet
    • Tradutor(a) Luis César Guimarães Oliva, Marcus Ferreira de Paula
    • Gênero Filosofia e Ética
    • Editora Autêntica Editora
    • Páginas 208
    • Ano 2013
    • Edição
    • Idioma Português
    • ISBN 9788582172926
    • Peso do arquivo 0.39MB