• A velhice que eu habito

    Ivone Gebara

    Claraboia Editora

    "Como é duro e, ao mesmo tempo, gratificante desobedecer! Por aí tracei meus caminhos." Os traços de Ivone irradiam vida, luta, justiça e esperança. Tornou-se freira aos vinte e dois anos, optou por viver ao lado daqueles que mais necessitam, foi silenciada pelo Vaticano, é feminista e favorável à legalização do aborto. São mais de sete décadas vivendo a desobediência com a energia dos adolescentes que teimam em acreditar na esperança e num mundo menos desigual e opressor. Neste livro, Ivone reflete sobre o seu agora: habitar a velhice, nas suas palavras, enquanto a lucidez ainda a habita. E o faz desenhando seu próprio traço: nomeando o envelhecer numa sociedade que não aceita e não cuida dos seus mais velhos. "O mundo capitalista inventou muitas atividades para idosos, mas nenhuma que preencha o vazio que se apossa de muitos de nós. O que é mesmo este vazio que poucos ousam enfrentar e partilhar?" Generosa, Ivone compartilha conosco uma vida que tem sido vivida integralmente e na sua integridade: na troca com o próximo, nas amizades, no diálogo com a filosofia, no exercício cotidiano do ecofeminismo, no método das perguntas, numa casa-corpo que não se dobra diante das opressões. Numa ética em que "me convidava a uma coerência de vida para além dos discursos religiosos". "Somos responsabilidade coletiva", ela diz. E é nesta frase que toda a sua vida transborda e nos afeta.
    Ler mais Ler menos
    Oba, você já comprou esse livro! Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Você já possui este livro através da parceria Skeelo + {partner} Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Páginas 144
    Peso do arquivo 3.09MB
    Ano da publicação 2021
    Tradutor(a)

    Sinopse

    "Como é duro e, ao mesmo tempo, gratificante desobedecer! Por aí tracei meus caminhos." Os traços de Ivone irradiam vida, luta, justiça e esperança. Tornou-se freira aos vinte e dois anos, optou por viver ao lado daqueles que mais necessitam, foi silenciada pelo Vaticano, é feminista e favorável à legalização do aborto. São mais de sete décadas vivendo a desobediência com a energia dos adolescentes que teimam em acreditar na esperança e num mundo menos desigual e opressor. Neste livro, Ivone reflete sobre o seu agora: habitar a velhice, nas suas palavras, enquanto a lucidez ainda a habita. E o faz desenhando seu próprio traço: nomeando o envelhecer numa sociedade que não aceita e não cuida dos seus mais velhos. "O mundo capitalista inventou muitas atividades para idosos, mas nenhuma que preencha o vazio que se apossa de muitos de nós. O que é mesmo este vazio que poucos ousam enfrentar e partilhar?" Generosa, Ivone compartilha conosco uma vida que tem sido vivida integralmente e na sua integridade: na troca com o próximo, nas amizades, no diálogo com a filosofia, no exercício cotidiano do ecofeminismo, no método das perguntas, numa casa-corpo que não se dobra diante das opressões. Numa ética em que "me convidava a uma coerência de vida para além dos discursos religiosos". "Somos responsabilidade coletiva", ela diz. E é nesta frase que toda a sua vida transborda e nos afeta.

    Ficha técnica

    • Autor(a) Ivone Gebara
    • Tradutor(a)
    • Gênero Feminismo e Estudos de gênero
    • Editora Claraboia Editora
    • Páginas 144
    • Ano 2021
    • Edição
    • Idioma Português
    • ISBN 9786599506925
    • Peso do arquivo 3.09MB