• Ágil Peste Celeste

    Gabriel Guimarães

    Chiado Brasil

    Já vi poetas transformarem-se e lançarem-se contra si o próprio olhar. Olhar este, nefasto aos espíritos atônitos e vulgares, potente e criador às mãos daquele que escreve seus versos primeiros. ÁGIL PESTE CELESTE é um manifesto poético, porventura político, contra o estéreo modelo estético racionalista e uma apologia à hybris em detrimento do logos; um sim a Dionísio e um não a Apolíneo; uma ode à embriaguez artística e ao gozo da poesia ilógica. Gabriel Guimarães, este andarilho de caminhos alheios, nos presenteia com a perspectiva poética do seu olhar e, em última instância, como um sublime devoto da língua portuguesa, dá ao leitor um fragmento da sua tragédia ática existencial, traduzida em belas e transgressivas palavras, fornecendo-nos a oportunidade de apreciar a intrepidez e a nudez de poemas sustidos em uma contemplação minuciosa do Outro, dos Outros e de Outrem. Basta! Há algo de imponderável no entrave do escrever do poeta-músico: os primeiros poemas são os primeiros passos em direção à eternização da memória e, acrescento, das palavras. Vinícius Barriga
    Ler mais Ler menos
    Oba, você já comprou esse livro! Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Você já possui este livro através da parceria Skeelo + {partner} Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Páginas 56
    Peso do arquivo 1.73MB
    Ano da publicação 2021
    Tradutor(a)

    Sinopse

    Já vi poetas transformarem-se e lançarem-se contra si o próprio olhar. Olhar este, nefasto aos espíritos atônitos e vulgares, potente e criador às mãos daquele que escreve seus versos primeiros. ÁGIL PESTE CELESTE é um manifesto poético, porventura político, contra o estéreo modelo estético racionalista e uma apologia à hybris em detrimento do logos; um sim a Dionísio e um não a Apolíneo; uma ode à embriaguez artística e ao gozo da poesia ilógica. Gabriel Guimarães, este andarilho de caminhos alheios, nos presenteia com a perspectiva poética do seu olhar e, em última instância, como um sublime devoto da língua portuguesa, dá ao leitor um fragmento da sua tragédia ática existencial, traduzida em belas e transgressivas palavras, fornecendo-nos a oportunidade de apreciar a intrepidez e a nudez de poemas sustidos em uma contemplação minuciosa do Outro, dos Outros e de Outrem. Basta! Há algo de imponderável no entrave do escrever do poeta-músico: os primeiros poemas são os primeiros passos em direção à eternização da memória e, acrescento, das palavras. Vinícius Barriga

    Ficha técnica

    • Autor(a) Gabriel Guimarães
    • Tradutor(a)
    • Gênero Poesia
    • Editora Chiado Brasil
    • Páginas 56
    • Ano 2021
    • Edição
    • Idioma Português
    • ISBN 9789893705230
    • Peso do arquivo 1.73MB