• Censura/autocensura

    Danilo Kiš

    Editora Âyiné

    "Este primeiro volume da coleção Diminuta apresenta dois capítulos que integram Homo Poeticus, antologia de não ficção do escritor iugoslavo Danilo Kiš. O ensaio de 1985 discorre sobre como a censura procura "destacar sua própria legitimidade ao mesmo tempo que busca camuflar sua própria negação" e a respeito da natureza da autocensura, que ele caracteriza como a "leitura do próprio texto com olhos alheios". Já na entrevista que compõe o segundo, o autor trata, entre outras questões, de ideias relativas à literatura moderna, ao crítico literário como leitor, ao domínio do estilo na escrita – "a prosa começa bem onde cessa o recado" –, à biografia do escritor como palimpsesto e, sobretudo, a alguns aspectos do pensamento de Sartre, escritor do qual Kiš se sente próximo e sobre o qual afirma que "está certo até quando erra". "Censura/autocensura" e "Afinal, os livros servem para alguma coisa" trazem uma amostra da eloquência e da engenhosidade já conhecidas das obras ficcionais desse que é um dos maiores escritores da Europa Oriental."
    Ler mais Ler menos
    Oba, você já comprou esse livro! Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Você já possui este livro através da parceria Skeelo + {partner} Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Páginas 26
    Peso do arquivo 0.33MB
    Ano da publicação 2020
    Tradutor(a)

    Sinopse

    "Este primeiro volume da coleção Diminuta apresenta dois capítulos que integram Homo Poeticus, antologia de não ficção do escritor iugoslavo Danilo Kiš. O ensaio de 1985 discorre sobre como a censura procura "destacar sua própria legitimidade ao mesmo tempo que busca camuflar sua própria negação" e a respeito da natureza da autocensura, que ele caracteriza como a "leitura do próprio texto com olhos alheios". Já na entrevista que compõe o segundo, o autor trata, entre outras questões, de ideias relativas à literatura moderna, ao crítico literário como leitor, ao domínio do estilo na escrita – "a prosa começa bem onde cessa o recado" –, à biografia do escritor como palimpsesto e, sobretudo, a alguns aspectos do pensamento de Sartre, escritor do qual Kiš se sente próximo e sobre o qual afirma que "está certo até quando erra". "Censura/autocensura" e "Afinal, os livros servem para alguma coisa" trazem uma amostra da eloquência e da engenhosidade já conhecidas das obras ficcionais desse que é um dos maiores escritores da Europa Oriental."

    Ficha técnica

    • Autor(a) Danilo Kiš
    • Tradutor(a)
    • Gênero Ensaios
    • Editora Editora Âyiné
    • Páginas 26
    • Ano 2020
    • Edição
    • Idioma Português
    • ISBN 9786586683271
    • Peso do arquivo 0.33MB