• Ingleses x Ingleses: poder e conflito entre a diplomacia londrina e os comerciantes britânicos no comércio proibido de escravos (Rio de Janeiro, 1826-1850)

    João Daniel Carvalho

    Editora Dialética

    O tráfico transatlântico de escravos foi (e ainda é) um dos temas mais estudados, pesquisados e comentados na historiografia. Essa instituição, tendo sido primordial à manutenção da escravidão nas Américas, foi uma das primeiras derivações do cativeiro a ser atacada, principalmente pelo governo inglês, no século XIX. Tendo abolido o tráfico de escravos para suas colônias em 1807, a Inglaterra intensificou sua atuação para o fim do tráfico de escravos no Atlântico. Durante toda a primeira metade do século XIX, o discurso oficial britânico sobre o tráfico, através de sua diplomacia, foi de contenção dessa atividade e de seu futuro término. Contudo, para os comerciantes, financistas, banqueiros e armadores ingleses, principalmente aqueles ligados aos interesses do capitalismo de Liverpool, Londres e Manchester, a continuidade do comércio de africanos era muito importante, pois tal atividade gerava grandes ganhos. Essa contradição de ideias entre a política externa inglesa e o capitalismo britânico aponta para uma sociedade multifacetada, dividida e complexa. Os interesses eram convergentes e divergentes. A ideia de uma "Grã-Bretanha unida contra o tráfico" é algo equivocado, errôneo. Devemos buscar uma solução diferente para resolver essa questão, algo que leve em consideração os interesses diversos entre política e comércio. É isso que essa obra tenta fazer.
    Ler mais Ler menos
    Pré-venda
    Este livro será lançado em
    Oba, você já comprou esse livro! Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Você já possui este livro através da parceria Skeelo + {partner} Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Páginas 292
    Peso do arquivo 4.08MB
    Ano da publicação 2021

    Sinopse

    O tráfico transatlântico de escravos foi (e ainda é) um dos temas mais estudados, pesquisados e comentados na historiografia. Essa instituição, tendo sido primordial à manutenção da escravidão nas Américas, foi uma das primeiras derivações do cativeiro a ser atacada, principalmente pelo governo inglês, no século XIX. Tendo abolido o tráfico de escravos para suas colônias em 1807, a Inglaterra intensificou sua atuação para o fim do tráfico de escravos no Atlântico. Durante toda a primeira metade do século XIX, o discurso oficial britânico sobre o tráfico, através de sua diplomacia, foi de contenção dessa atividade e de seu futuro término. Contudo, para os comerciantes, financistas, banqueiros e armadores ingleses, principalmente aqueles ligados aos interesses do capitalismo de Liverpool, Londres e Manchester, a continuidade do comércio de africanos era muito importante, pois tal atividade gerava grandes ganhos. Essa contradição de ideias entre a política externa inglesa e o capitalismo britânico aponta para uma sociedade multifacetada, dividida e complexa. Os interesses eram convergentes e divergentes. A ideia de uma "Grã-Bretanha unida contra o tráfico" é algo equivocado, errôneo. Devemos buscar uma solução diferente para resolver essa questão, algo que leve em consideração os interesses diversos entre política e comércio. É isso que essa obra tenta fazer.
    Ler mais Ler menos

    Ficha técnica

    • Autor(a) João Daniel Carvalho
    • Tradutor(a)
    • Gênero História Moderna
    • Editora Editora Dialética
    • Páginas 292
    • Ano 2021
    • Edição
    • Idioma Português
    • ISBN 9786525200125
    • Peso do arquivo 4.08MB