• O Consumidor Universal e o Design Inclusivo : adaptação do Mercado às necessidades do Consumidor Universal, instrumento para a construção de uma sociedade inclusiva, justa e democrática

    Everaldo Ashlay Silva de Oliveira

    Editora Dialética

    O presente livro analisa a dimensão de aplicabilidade do artigo 2º da Convenção das Pessoas com Deficiência - que foi incorporada à legislação brasileira nos termos da emenda constitucional 45/04 - no que tange ao desenho universal, demonstrando tratar-se de uma das mais revolucionárias ferramentas destinadas à construção de uma sociedade democrática, justa e fraterna, que, por consequência natural, será inclusiva. Da hermenêutica do dispositivo concebe-se a figura do consumidor universal, para quem se destina produtos e serviços igualmente universais. Denuncia-se a falta de eficácia das atuais normas referentes ao desenho universal, atribuindo ao conflito de valores que se instala face à sociedade consumista, neoliberal e globalizante, igualmente analisada e criticada com o auxílio de Noam Chomsky. Procura-se, por fim, conscientizar para uma busca de novas soluções de acordo com o paradigma sugerido pelo desenho universal que, com certeza, nos conduzirá à idealização de um neohumanismo, de que precisamos. A construção de uma sociedade inclusiva pede muito mais do que banheiros adaptados e calçadas rebaixadas. Exige que a sociedade consumista comece a produzir para todos, ao invés de para alguns. Determina que os princípios da dignidade da pessoa humana, da igualdade e da cidadania, já exaustivamente conhecidos, legislados e comentados, venham, pouco a pouco, tornando-se realidade.
    Ler mais Ler menos
    Pré-venda
    Este livro será lançado em
    Oba, você já comprou esse livro! Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Você já possui este livro através da parceria Skeelo + {partner} Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Páginas 180
    Peso do arquivo 1.53MB
    Ano da publicação 2021

    Sinopse

    O presente livro analisa a dimensão de aplicabilidade do artigo 2º da Convenção das Pessoas com Deficiência - que foi incorporada à legislação brasileira nos termos da emenda constitucional 45/04 - no que tange ao desenho universal, demonstrando tratar-se de uma das mais revolucionárias ferramentas destinadas à construção de uma sociedade democrática, justa e fraterna, que, por consequência natural, será inclusiva. Da hermenêutica do dispositivo concebe-se a figura do consumidor universal, para quem se destina produtos e serviços igualmente universais. Denuncia-se a falta de eficácia das atuais normas referentes ao desenho universal, atribuindo ao conflito de valores que se instala face à sociedade consumista, neoliberal e globalizante, igualmente analisada e criticada com o auxílio de Noam Chomsky. Procura-se, por fim, conscientizar para uma busca de novas soluções de acordo com o paradigma sugerido pelo desenho universal que, com certeza, nos conduzirá à idealização de um neohumanismo, de que precisamos. A construção de uma sociedade inclusiva pede muito mais do que banheiros adaptados e calçadas rebaixadas. Exige que a sociedade consumista comece a produzir para todos, ao invés de para alguns. Determina que os princípios da dignidade da pessoa humana, da igualdade e da cidadania, já exaustivamente conhecidos, legislados e comentados, venham, pouco a pouco, tornando-se realidade.
    Ler mais Ler menos

    Ficha técnica

    • Autor(a) Everaldo Ashlay Silva de Oliveira
    • Tradutor(a)
    • Gênero Governo e Política
    • Editora Editora Dialética
    • Páginas 180
    • Ano 2021
    • Edição
    • Idioma Português
    • ISBN 9786559561872
    • Peso do arquivo 1.53MB