• Videogame e violência: Cruzadas morais contra os jogos eletrônicos no Brasil e no mundo

    Salah H. Khaled Jr

    Civilização Brasileira

    As controvérsias em torno dos videogames se confundem com sua própria história. Neste livro, o autor, Salah H. Khaled Jr., gamer desde a década de 1980, recusa a explicação maniqueísta de que jogos violentos provocariam agressividade e dessensibilização. Além de analisar o discurso jornalístico e político em casos de violência envolvendo gamers, o autor reúne vasta bibliografia para sustentar que muitas pesquisas apresentam falhas metodológicas e não são capazes de apontar com segurança uma relação causal entre games e agressão e entre games e perda de sensibilidade diante da violência real. Para ele, "A suposta conexão entre games e violência não é mais que um discurso produzido pela imprensa, recepcionado por políticos e grupos de pressão e, de certo modo 'certificado como verdadeiro' por alguns pesquisadores, cujo resultado conduz à criminalização cultural dos games, e também dos criadores e jogadores. Trata-se de um complexo processo de difusão de pânico moral por reacionários culturais". O livro também mostra que a indústria do videogame tem usado a polêmica a seu favor, muitas vezes ela mesma desencadeando deliberadamente o pânico, visando exclusivamente à compensação financeira. Com formação acadêmica em Criminologia, Direito Penal e História, Salah H. Khaled Jr. é um jogador aficionado. Este livro, escrito com rigor e espirituosidade, tem leitura ágil e reúne discussões de campos diversos, incluindo psicologia, ética, jornalismo e cultura pop.
    Ler mais Ler menos
    Pré-venda
    Este livro será lançado em
    Oba, você já comprou esse livro! Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Você já possui este livro através da parceria Skeelo + {partner} Acesse o App e aproveite a leitura 😁
    Páginas 504
    Peso do arquivo 2.07MB
    Ano da publicação 2018

    Sinopse

    As controvérsias em torno dos videogames se confundem com sua própria história. Neste livro, o autor, Salah H. Khaled Jr., gamer desde a década de 1980, recusa a explicação maniqueísta de que jogos violentos provocariam agressividade e dessensibilização. Além de analisar o discurso jornalístico e político em casos de violência envolvendo gamers, o autor reúne vasta bibliografia para sustentar que muitas pesquisas apresentam falhas metodológicas e não são capazes de apontar com segurança uma relação causal entre games e agressão e entre games e perda de sensibilidade diante da violência real. Para ele, "A suposta conexão entre games e violência não é mais que um discurso produzido pela imprensa, recepcionado por políticos e grupos de pressão e, de certo modo 'certificado como verdadeiro' por alguns pesquisadores, cujo resultado conduz à criminalização cultural dos games, e também dos criadores e jogadores. Trata-se de um complexo processo de difusão de pânico moral por reacionários culturais". O livro também mostra que a indústria do videogame tem usado a polêmica a seu favor, muitas vezes ela mesma desencadeando deliberadamente o pânico, visando exclusivamente à compensação financeira. Com formação acadêmica em Criminologia, Direito Penal e História, Salah H. Khaled Jr. é um jogador aficionado. Este livro, escrito com rigor e espirituosidade, tem leitura ágil e reúne discussões de campos diversos, incluindo psicologia, ética, jornalismo e cultura pop.
    Ler mais Ler menos

    Ficha técnica

    • Autor(a) Salah H. Khaled Jr
    • Tradutor(a)
    • Gênero Sociologia
    • Editora Civilização Brasileira
    • Páginas 504
    • Ano 2018
    • Edição
    • Idioma Português
    • ISBN 9788520013694
    • Peso do arquivo 2.07MB